The Banner Saga 3 | GLITCH REVIEW

Para quem, como eu, começou esta viagem há quatro anos, The Banner Saga 3 tem uma tarefa difícil pela frente: é a conclusão da trilogia, e a série exige não menos do que um final épico. O que começou como uma colecta de impostos, tornou-se numa guerra e descambou para um êxodo global. A cada … Continue a ler The Banner Saga 3 | GLITCH REVIEW

Sundered | Glitch Review

Lovecraft é um nome que tem ressoado bastante nos últimos anos. Apesar de ter morrido na penúria (e com pesadelos que não consigo sequer imaginar), o escritor norte-americano é dado como inspiração por um número impressionante de artistas de diferentes áreas. Os videojogos não são excepção, como comprova Bloodborne. Sundered não é exactamente Bloodborne (até … Continue a ler Sundered | Glitch Review

Speedrunners | Glitch Review

Se há jogos que sofrem com a idade, Speedrunners escapa a esse grupo. Com um ano contado no PC, chega este ano à Xbox One e à PS4. Parte do segredo de juventude duradora é o facto de ser um indie sem pretensões fotorrealistas – sejamos honestos, os títulos AAA dão-se bastante pior com a … Continue a ler Speedrunners | Glitch Review

Sobre a crítica e os videojogos

O papel de um crítico é algo ingrato. O termo é si soa depreciativo e a pessoa em si é pintada como pedante. O exemplo perfeito é o crítico de Ratatouille, um homem cujo apelido é Ego, com traços de abutre com uma máquina de escrever em forma de caveira num escritório com a geometria … Continue a ler Sobre a crítica e os videojogos

Glitch Review | For Honor

"Não é o que parece" foi o mote de Jason VandenBerghe, director criativo, sempre que apresentava For Honor a jornalistas. É o mote de todos os que tentam convencer outros a darem uma hipótese ao novo multijogador competitivo da Ubisoft, porque For Honor é daqueles jogos raros que só compreendemos com o comando na mão. … Continue a ler Glitch Review | For Honor

Glitch Review | The Last Guardian

Depois de nove anos em produção, The Last Guardian, o último jogo produzido por Fumito Ueda ao comando da Team Ico, chega sob a sombra de enormes expectativas: não só a longa espera, com os sucessivos adiamentos e os rumores de cancelamento, o tornaram numa espécie de “baleia branca”, como o próprio legado de Ueda … Continue a ler Glitch Review | The Last Guardian

Glitch Review | The Final Station

Não me lembro da última vez que parti para um jogo sem qualquer informação. Na era dos mil trailers, é coisa rara até porque a norma dita que o que não se vê não existe. Posto isto, para mim, The Final Station passou a existir no momento em que a tinyBuild Games me fez chegar … Continue a ler Glitch Review | The Final Station

Glitch Review | Rise of the Tomb Raider

Passou um ano desde que a Crystal Dynamics lançou a sequela do reboot de Tomb Raider. O jogo de 2013, apesar da polémica, surpreendeu-me. Esperava uma tentativa de copiar Uncharted (ironicamente, dada a "inspiração" da série da Naughty Dog), mas senti que havia algo genuíno. Este sentimento, porém, dependia da convicção de que Tomb Raider … Continue a ler Glitch Review | Rise of the Tomb Raider

Glitch Review | DOOM

Eu não conhecia o DOOM até há bem pouco tempo. Não cresci a jogar DOOM, na realidade foi muito tarde que comecei a gostar de shooters/FPS’s. O anúncio há coisa de um ano não me disse absolutamente nada. A alpha e as betas que se seguiram, não me venderam o jogo. O que é que … Continue a ler Glitch Review | DOOM

Glitch Review | Uncharted 4: A Thief’s End

Os críticos louvam Uncharted 4 e a comunidade tenta banir uma opinião dissidente do Metacritic, enquanto no meu feed do Facebook são mais que muitas as imagens de A Thief’s End. A minha experiência com o mais recente jogo da Naughty Dog, por outro lado, acabou em desilusão. Não li nenhuma análise, vi as notas … Continue a ler Glitch Review | Uncharted 4: A Thief’s End

Glitch Review | Hyper Light Drifter

Os jogos mudaram, já o debatemos aqui. Se nos primórdios da indústria era o desafio, tanto psicológico como físico, que definiam o passatempo, hoje o meio evoluiu para uma existência mais complexa, ainda que menos exigente. A tecnologia permitiu narrativas mais cinemáticas e o público mais vasto exigiu experiências mais acessíveis, por vezes acomodadas à … Continue a ler Glitch Review | Hyper Light Drifter

Glitch Review | Quantum Break

Quantum Break é a nova aposta da Microsoft e da Remedy, criadores de Max Payne e Alan Wake, jogos que se tornaram icónicos e que nos trouxeram formas diferentes e arriscadas de nos contar uma história. Onde estes sucederam, Quantum Break quase que falha provando que produções live-action e videojogos não combinam. A premissa de … Continue a ler Glitch Review | Quantum Break

Glitch Review | SUPERHOT

A beleza e inteligência de SUPERHOT reside na sua compreensão total da estética e mecânicas que insere num género tão sobrelotado como a ação na primeira pessoa. É praticamente impossível ficar indiferente perante o minimalismo dos seus gráficos, apresentados através de cenários simples e personagens descaraterizadas, e a sua jogabilidade viciante e puramente frenética. Como … Continue a ler Glitch Review | SUPERHOT

HUSH – Into the Darkness | Glitch Review

O percurso de HUSH, o projecto da portuguesa Game Studio 78 (GS78), é um exemplo de perseverança. Depois de não conseguir atingir os objectivos nas campanhas de crowdfunding em plataformas como o Kickstarter e Indiegogo, a equipa conseguiu captar o interesse da TheGameWall Studios, sediada no Reino Unido. O primeiro episódio de dois, Into the … Continue a ler HUSH – Into the Darkness | Glitch Review