LEGO STAR WARS: The Skywalker Saga | GLITCH REVIEW

A minha primeira experiência foi com a Complete Saga na PS3, já de si uma antologia das coleções da PS2 e disse tivemos porque foi uma experiência partilhada para o dobro da insanidade — daí aos restantes mundos Lego foi um salto que atingiu o zénite de diversão na trilogia de Senhor dos Anéis, tendo vindo a aborrecer-me a cada novo jogo. Atenção: não eram maus, eu é que estava a jogar os mesmos jogos, mas noutras licenças. Para esta análise, regressámos à saga onde começámos que conta agora com mais uma mão cheia de filmes, séries, jogos etc! E repito regressámos porque faz todo o sentido jogar esta aventura com quem me introduziu aos jogos.

Não obstante, ainda passámos um bom bocado! Para mim, Lego traduz-se em criatividade sem limites e horas de brincadeira a solo ou em companhia. Uma caixa, ou balde, permite construir mundos e criar histórias onde vale tudo. Aqui, quando jogamos os mais diversos jogos Lego, não somos os criadores nem controlamos a narrativa, é quase como brincar com um amigo que comprou o pacote mais caro de Lego — é ele que manda, é ele que diz o que vamos construir e se quisermos brincar, vamos ter de respeitar. Mas é um amigo porreiro porque nos deixa brincar até serem horas de jantar. Até lá, não saímos daquele mundo, neste caso de Star Wars.

Apesar de correr atrás da moda dos mundos abertos, pejados de missões secundárias e demasiada informação no ecrã que tornam minutos, ou horas, de diversão em trabalho, consigo dizer que Skywalker Saga é um fartote constante e perfeito para ser jogado em pequenas doses após um dia de trabalho, com a sua jogabilidade caótica e gags visuais que nos levam às lágrimas com poucas ou nenhumas palavras. Se forem mais puristas, podem desligar os diálogos e activar o modo de grunhidos que realça mais a pantomima das antigas entradas. Apesar de os diálogos serem até bastantes profissionais, com algumas estrelas conhecidas dos fãs, senti-os desfasados do tom do jogo, com falas sóbrias proferidas por personagens a fazer macacadas. Se bem, que noutras alturas funcionavam lindamente no ridículo da situação.

Quando não estamos a assistir a um resumo da sextologia editada de forma estranha, que me fez sacudir a cabeça várias vezes, estamos a destruir tudo o que não está preso ao chão. Mas um pouco sobre a primeira parte: sendo fã de Star Wars, e conhecendo os filmes, senti que para condensar uma saga inteira, o jogo teve de tomar decisões e apressar a narrativa com sequências que saltavam de momento para momento sem deixar o jogo respirar. Certo, algumas dessas sequências eram as principais dos filmes e algumas tinham bastante piada, mas não serve para introduzir alguém à galáxia de Lucas. Mas também, será esse o propósito? Ou abrir a curiosidade? Lembrou-me um jogo que analisei há anos, o Pirate Warriors 3. Eu adoro One Piece e achei esse jogo e a sequela péssimas explorações do mundo de One Piece, vingando apenas pela sua jogabilidade.
E acontece o mesmo aqui: interessa muito mais a jogabilidade do que uma história desenvolvida. E tenho de concordar q.b. porque é puro fan service que funciona porque controlar o Luke, Han, Leia, Kylo, Salacious B. Crumb e outros não é uma refeição que nos é servida com frequência. Com este elenco galáctico, alternamos entre os típicos níveis lineares onde resolvemos puzzles, combatemos e exploramos até ao tutano para não deixar nada para trás e os intervalos de mundo aberto que nos permitem explorar literalmente a galáxia e partir em imensas actividades secundárias ao som das familiares batidas da série e com muita galhofa à mistura.

Tenho de tirar o meu capacete ao estúdio pelo imenso esforço e ambição nesta colecção. Skywalker Saga é um jogo bonito para caramba e podemos discutir que um jogo Lego não tem de ser assim tão detalhado e pipi, mas a verdade é que os cenários e as personagens são deslumbrantes com detalhes deliciosos como sujidade, queimaduras ou imensas partículas e explosões devido ao nosso caos. A jogabilidade também lavou a cara e refinou o que já era bom, deixando os ângulos de câmara fixos para nos oferecer uma experiência mais imersiva e livre, com as secções de tiroteio a fazer lembrar Gears of War com direito a cobertura e tudo, mas quem quer saber de tiros quando podemos sacudir o ar com sabres de luz? O gozo destes jogos é mesmo controlar os nossos heróis ou vilões favoritos e recriar as inúmeras batalhas épicas da saga num sistema de combate melhorado e que vamos desenvolvendo com a aquisição de novas habilidades. E aqui jaz uma das outras mecânicas, a piscadela RPG que passa pela aquisição dessas habilidades, umas mais genéricas como andar mais rápido ou saltar, outras mais ligadas às classes das personagens.

E com isto, chegam-nos outros problemas: como ângulos de câmara erráticos que não acompanhavam a acção ou congelavam, dificultando o combate, a resolução de puzzles ou fazendo perder o progresso, e com muito a acontecer no ecrã, os soluços eram frequentes, se bem que a própria introdução já os tinha. A notar que os problemas eram mais sublinhados no modo cooperativo que achei um nada claustrofóbico e fez-me ter saudades da Complete Saga, onde os dois jogadores dividiam o ecrã para terem uma maior visibilidade de exploração. Aqui, o ecrã divide-se na vertical e eu adorava ter a opção para alternar porque sinto que estou a perder imensa informação.

Dito quase tudo, e acreditando que estas rugas sejam passadas a ferro, é um jogo perfeito para jogarem com amigos e família. Não é complicado, não penaliza se perderem e se estiverem cansados do mundo aberto, podem sempre correr para a história, mas também é um jogo que implora para ser explorado porque há tanto para descobrir, coleccionar e razões para voltar, mesmo após os créditos. Já não via uma galáxia assim tão viva desde um KOTOR ou Mass Effect e confesso aqui: adorava que dessem o mesmo tratamento à série Lego de Senhor dos Anéis e acabassem o Hobbit

A escala utilizada é de 1 a 10

Código cedido pela UpLoad Distribution.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.